Artwork · Colagens

Mastro afundando no mar revolto

Mastro afundando no mar revolto

Andava por muitos mares. E como era parte de uma caravela, era feminina e tinha alguns indicativos disto. 
Ah! Tá! Mas tinha um mastro. Substantivo masculino. Mas era todo trabalhado, cheio de enfeites, bordados e penduricalhos. Então só o nome era masculino. Ah! Bom! 
O fato é que toda a caravela singrava suave. Rainha do mar. Suas formas eram vistas de longe. E até da costa dependendo da distância que dela estava. 
Levava uma vida boa. Nem sempre calma. Porque isto dependia do mar. Às vezes ele estava bravo. Então nestas horas era preciso cautela. E às vezes estava muito tranquilo e o deleite era total. 
Mas eis que um dia o mar estava mais revolto que nunca. E ela foi pega de surpresa. E balançava e balançava e a água entrando por todos os lados. 
Tudo, mais ou menos, como em nossas vidas. Sempre singrando ao sabor do sol e sal. Dos ventos, do calor, do frios e das tempestades. 
Pequenas e grandes surpresas pelo caminho. E, quando algumas delas vem com uma força descomunal, o naufrágio é quase certo. 
E foi o que aconteceu com a caravela e seu mastro. Aqui na arte dando seus últimos suspiros antes de afundar totalmente.